• ARFOC-RS / EX-PRESIDENTES

    • Joaquin Magadan
    • Joaquin Magadan | 1958/1962 - 1973/1976

      Joaquim Américo Magadan, nasceu em Montevidéu em 01º de Maio de 1914. Era ainda menino quando seus pais, Antônio Francisco Magadan e Cacilda da Cunha Magadan se transferiram para Porto Alegre, onde ele iniciou os estudos no colégio Parobé. O gosto pela fotografia fez com que largasse o curso de eletrotécnica e se dedicasse ao aprendizado da arte de fotografar. Com 20 anos de idade, ingressou no quadro de fotógrafos do Correio do Povo, em 1934 e se tornou um dos primeiros fotógrafos da Folha da Tarde, quando esta começou a circular em 1936. Em um dos seus primeiros trabalhos registrou a visita do presidente Getúlio Vargas. Destacam-se ainda a posse do primeiro governador constitucional do Rio Grande do Sul, General Flores da Cunha, a exposição comemorativa ao centenário da Revolução Farroupilha e as exposições agropecuárias de Montevidéu, no parque do Prado. Certa vez, em uma destas coberturas, surpreendeu o próprio presidente da república vizinha entregando-lhe em mãos, nas tribunas oficiais, no momento em que este inaugurava a mostra, um exemplar do Suplemento Rural, contendo todo o material referente aos julgamentos realizados horas antes. Aliás, com Santos Vidarte, alternou-se na fase inicial deste encarte, valorizando com arte e bom gosto indiscutíveis o material que era parte integrante do jornal Correio do Povo. Ao lado de um grupo de amigos fotógrafos e cinematógrafos, fundou em 1956 a Arfoc RS. Faleceu em 07 de março de 1983, aos 69 anos.

    • Carlos Contursi
    • Carlos Contursi | 1958/1962 - 1973/1976

      O jornalista foi um dos mais importantes comunicadores, na década de 60, no Rio Grande do Sul. Foi fundador do Departamento de Fotografia da Assembléia, sala que tem seu nome.

    • Pedro Flores
    • Pedro Flores | 1962/1966 - 1976/1978

      Foi presidente da ARFOC de 1962 a 1966 e de 1976 a 1978. Flores atuou em veículos de comunicação na capital gaúcha e junto ao governo estadual, sendo também líder sindical. Participou de vários exposições durante toda a sua carreira. Foi fotógrafo do jornal Correio do Povo por quase 20 anos. Falecido em 2005.

    • Alberto Etchart
    • Alberto Etchart | 1966/1970

      Nascido em Montevidéu, em 6 de junho de 1932, naturalizou-se brasileiro, atuando como fotógrafo profissional por mais de 50 anos. De março de 1955 a fevereiro de 1985, atuou na Empresa Jornalística Caldas Júnior, trabalhando para o Correio do Povo, a Folha da Tarde e a Folha da Manhã. Em 1976 assumiu a chefia do Departamento de Fotografia da empresa. Etchart realizou importantes coberturas nacionais e internacionais, entre elas a inauguração de Brasília, em 1961, e o acidente de avião na Cordilheira dos Andes seguido de canibalismo, envolvendo equipe de rugby do Uruguai, em 1972. Etchart faleceu em 2008.

    • Octacílio Dias
    • Octacílio Dias | 1971/1973

      Octacílio Dias, 74 anos, há 52 anos atua como repórter fotográfico, iniciou sua carreira em 1959, jornal Ultima Hora. Também atuou no Jornal do Comércio, Revista O Globo e grupo jornalístico Caldas Jr. Presidiu a Arfoc RS entre os anos de 1971 a 1973. Entrou para o gabinete de imprensa da Prefeitura de Porto Alegre em 1975, exercendo as funções de técnico de Comunicação Social e repórter fotográfico, onde permaneceu até se aposentar em 2008. Apaixonado pela fotografia, ainda hoje registra os eventos da Associação de Amigos do Patrimônio Histórico e Cultural do município de Dois Irmãos, onde reside.

    • Jurandir Silveira
    • Jurandir Silveira | 1978/1982

      Aos quinze anos começou a ler sobre fotografia, comprou uma máquina, que na época as pessoas chamavam de caixão, por ser quadrada. Foi o início de tudo, a mais de 40 anos. As primeiras experiências foram à noite, depois da janta, na cozinha montava o laboratório para revelar os negativos e ampliar as fotos feitas durante o dia. O primeiro emprego foi no Jornal do Dia em Poa, como gráfico em 1963. Em 1970 como Repórter-Fotográfico na CIA. Jornalística Caldas Junior, Correio do Povo, Folha da Tarde e Folha da Manhã. Entre as coberturas mais importantes, estão as quatro Copas do Mundo, os mundiais de 1978 na Argentina, 1982 na Espanha, pelo Correio do Povo, os de 1994 Estados Unidos e 1998 na França, pelo Diário Catarinense e o Grêmio Campeão do Mundo em Tóquio em 1983, pela Agência-Objetiva Press. Trabalhei em vários jornais, Correio do povo, Folha da Manhã, Folha da Tarde, Objetiva Press - Poa, Jornal do Brasil - Poa e Zero Hora, como editor de fotografia nos jornais, Jornal do Brasil, Rio, Jornal do Dia, Rio e Diário Catarinense, Florianópolis. Frase: “Os fotógrafos sempre fazem a história, ou através do tempo, ou pela suas boas imagens.”

    • Luís Antônio Guerreiro
    • Luís Antônio Guerreiro | 1982/1985

      Luiz Antônio Braga Guerreiro começou na fotografia em 1971, aperfeiçoando-se através dos cursos profissionais do Foto Cine Clube Gaúcho e de Extensão Universitária em Fotografia – Instituto de Belas Artes da UFRGS, em 1973. Em 1979, tornou-se jornalista e repórter fotográfico. Em 1983, criou a Agência Objetiva Press Fotografias e Notícias Ltda., com estrutura para qualquer tipo de trabalho relacionado à fotografia, oferecendo uma nova modalidade de prestação de serviços fotográficos em Porto Alegre, além de oportunizar trabalho para inúmeros profissionais. Ainda naquele ano, criou a Sala de Retrato, a primeira galeria do RS voltada exclusivamente para a exposição de fotos. Em 1986, na presidência da Arfoc RS, implantou os "jalecos", forma de credenciamento e obtenção de renda com a comercialização do espaço, utilizada até os dias de hoje. Trabalhou para os veículos de comunicação Caldas Júnior, Jornal do Brasil, Estado de São Paulo, Folha de São Paulo, Correio Brasiliense, Jornal de Brasília, Diário de Pernambuco, O Dia, dentre outros, além das agências internacionais AP(Associated Press), Reuters e FP(France Presse) tendo sido o responsável pelo informe jornalístico fotográfico da agência em todo o RS na década de 90). Entre 2003 a 2010, esteve ligado à Assembléia Legislativa do RS, atuando como chefia(2003) e posteriormente atendendo à demanda do Departamento Fotográfico, no acompanhamento das atividades legislativas e também do Gabinete da Presidência do Parlamento Gaúcho. Nos dias atuais, Guerreiro, como é conhecido, atua como Gestor de Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Porto Alegre (Gabinete do Prefeito).

    • Antônio Vilmar da Rosa
    • Antônio Vilmar da Rosa | 1985/1993

      Manteve a mesma postura dos outros presidentes de divulgar e dignifcar a profissão de fotógrafo. Atualmente, atua como repórter fotográfico da Secretaria Estadual da Agricultura do RS.

    • Ricardo Giusti
    • Ricardo Giusti | 1993/1999

      Apaixonado pelo jornalismo e, em particular, pela linguagem da fotografia. É assim que João Ricardo Testa de Giusti se define. Encantado com o mundo da comunicação, Giusti estava sempre presente na redação da Folha da Tarde, jornal em que seu pai, o jornalista Benito Giusti, trabalhava. Em 1980, ingressa como estagiário na Prefeitura Municipal de Porto Alegre, onde atua como fotógrafo até hoje. Em 1986, começou a trabalhar no Correio do Povo e onde é Editor de Fotografia. Giusti é detentor de quatro prêmios ARI, um Prêmio Direitos Humanos e, em 2009, foi escolhido “Fotógrafo do Ano” pela revista Press.

    • Paulo Dias
    • Paulo Dias | 1999/2002

      Paulo Roberto Castro Dias, ou simplesmente Paulo Dias, atua na profissão há quase 40 anos. Começou em 1974, na Focontexto. Atuou nos Jornais Zero Hora e Correio do Povo e Folha de Hoje em Caxias do Sul. Coordenou a transição do analógico para o digital, nos períodos em que esteve a frente dos Departamentos Fotográficos da Assembléia Legislativa do RS (1994 a 2002) e do Palácio Piratini (2003 a 2007). Atualmente, atua como repórter fotográfico freelancer em Porto Alegre e é o presidente da Associação Brasileira dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos (Arfoc Brasil). Já comandou a Arfoc do Rio Grande do Sul entre os anos de 1999 a 2002.Recebeu em 2009, menção honrosa do governo gaúcho, em reconhecimento pelos trabalhos executados. Faleceu em dezembro de 2014.

    • Ricardo Rímoli
    • Ricardo Rímoli | 2002/2005

      A busca de uma câmera FM2 foi o que o levou ao mundo do fotojornalismo.Tudo começou quando foi ao estúdio do Ricardo Sperb (Cocão) para comprar uma câmera FM2 que estava anunciada em um jornal. O Ricardo Sperb era membro da Agência Visor. Começou atuando em publicidade com o Cocão, daí então surgiu uma pauta para o Jornal do Brasil. Foi quando se apaixonou pelo fotojornalismo. Seu primeiro emprego como repórter fotográfico foi na Objetiva Press que entre outros, atendia o Jornal do Brasil, as revistas Veja, Abril e Caras.Trabalhou nos dois primeiros anos de implantação da revista Época e neste período, atuava na Objetiva Press fazendo parceria para trabalhar em eventos como: Rock In Rio e os Festivais de Cinema de Gramado, Recife e do Rio de Janeiro. Sempre exerceu a profissão como freelancer, atendendo clientes na área corporativa, tendo como clientes a operadora de telefonia móvel Vivo, entre outras. Em 1995 começou na edição zero do Diário O Lance, onde trabalha até hoje. Neste período, fez a cobertura da Copa Davis de tênis, em Porto Alegre (confronto Brasil x Espanha). Em 2007, foi editor do Diário O Lance, na cidade do Rio de Janeiro. Em todo o seu percurso nesta área, nunca deixou de realizar trabalhos corporativos e sempre fotografando gente.

    • Léo Guerreiro
    • Léo Guerreiro | 2005/2008

      Guerreiro foi um dos que ajudou a fundar a ARFOC, em 1956. Eleito presidente da Associação para comemorar os 50 anos da entidade. Em 1953, foi contratado pela Revista e Jornal Hoje e, entre 1956 e 1969, atuou como assistente técnico da Secretaria de Educação e Cultura (SEC), de onde saiu para lecionar na Universidade Federal de Santa Maria. Na UFSM, criou a disciplina de Fotografia no Centro de Artes. Guerreiro atuou como repórter fotográfico por mais de 50 anos.

    • Milton Cougo
    • Milton Cougo | 2008/2011

      Milton Cougo atua há 27 anos como repórter cinematográfico. Trabalhou durante 15 anos na RBS TV, em reportagens locais e internacionais. No Núcleo da Rede Globo do Rio Grande do Sul, desenvolveu trabalhos para o Jornal Nacional, Globo Repórter e Fantástico. Foi repórter cinematográfico na Rede Bandeirantes por 7 anos no Núcleo São Paulo. Na Rede Globo do Rio de Janeiro, através de intercâmbio, fez reportagens para o Bom Dia Brasil, Jornal Hoje e Jornal Nacional. Produziu curtas, documentários, como "Atletas x Ditadura– A Geração Perdida", atuando também como diretor de fotografia. Participou de várias coberturas nacionais e internacionais de telejornalismo, tanto pela RBS/Rede Globo como pela TV Bandeirantes. Trabalhou em várias campanhas políticas no Brasil e no exterior. É um dos repórteres cinematográficos mais premiados da imprensa e faz parte, de acordo com o Ranking Jornalistas & Cia, na Edição 826, pesquisando quase 70 prêmios de jornalismo, do Brasil e do exterior, da lista dos duzentos Jornalistas Brasileiros Mais Premiados de Todos Os Tempos. Como instrutor preparou uma geração de profissionais com cursos no RS, SC e PR. Foi o primeiro repórter cinematográfico a ser Presidente da Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Estado do Rio Grande do Sul -ARFOC-RS e hoje é Vice-Presidente da entidade. Atualmente trabalha na Unidade de Comunicação da FIERGS/UNICOM.

  • Buscar Associados
  • BUSCAR ASSOCIADOS


  • Nome:
  • Cidade:
  • Especialidade:
  • Ver todos os
    associados
  • Próximo Credenciamento
  • PORTFOLIO
    DESTAQUE


  • Nome: Manoel Petry
  • Cidade: Porto Alegre - RS
  • Especialidade: Repórter Fotográfico
  • Ver portfolio